Hoje é sábado, 18 de agosto de 2018

Publicidade

O Especialista

Finanças

O dinheiro é o segundo maior motivo para divórcio.  Ele interfere diretamente na união, bem estar e no relacionamento do casal.

Quantos de nós já perdeu o sono por conta de dinheiro? O problema é que no nosso mundo de super ofertas, liquidações maravilhosas e crédito fácil, milhões de pessoas estão com o orçamento estourado. Segundo a PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor) em 2015 só no Brasil, 62% das famílias estavam endividadas, 21% com as contas atrasadas e 8% não tinham como pagar o que devem. Então o que fazer?

Quando a vida financeira está desorganizada, é quase impossível que as outras áreas como casamento, saúde, amizades, estejam. Portanto, é fundamental que as finanças se equilibrem.

Mas o que é equilíbrio financeiro? É viver de forma confortável com o salário, renda ou dinheiro que recebe. A forma como é administrada a renda familiar vai determinar se a família está ou não financeiramente estável.

É possível viver bem mesmo não ganhando um salário muito grande. Para isso é preciso pagar as contas em dia, fugir das dívidas, ter controle nos gastos e investimentos e principalmente fazer do dinheiro um amigo e não um inimigo.

Muitos dizem “saúde é mais importante” e eu pergunto se é possível ter uma boa saúde sem o dinheiro? Alimentação adequada, um bom plano de saúde, médicos, dentistas e remédios custam uma soma considerável. Outros dizem “família é mais importante”, mas quando falta o dinheiro, na maioria das vezes, a família se desfaz. “Amigos são mais importantes”, mas como receber confortavelmente os amigos sem dinheiro?

É claro que riqueza não é apenas dinheiro, mas também plenitude de vida e a liberdade que a saúde e o tempo proporcionam. É preciso dinheiro, mas paz e consciência tranquila de não ter dívidas. É preciso dinheiro para sonhar, planejar e realizar os sonhos. E tempo para desenvolver a espiritualidade.

Duas coisas principais impulsionam o ser humano. Uma é a inspiração e a outra é o desespero. O melhor seria que agíssemos guiados pela inspiração, mas a falta de planejamento financeiro nos obriga muitas vezes a agir pelo desespero. E quando o desespero bate, normalmente não há muito tempo e nem calma para raciocinarmos.

Não é minha pretensão dar uma aula sobre finanças, mas uma visão geral do que pode ou não acontecer se o dinheiro não for usado de forma a beneficiar o casal e toda a família. O assunto é vasto demais para ser esgotado nesse artigo, porém é preciso alertar as famílias com seus dilemas financeiros.

Um levantamento feito pelo serviço de proteção ao crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 36,6% das pessoas admitem que fazem compras como uma forma de aliviar o stress. A mesma pesquisa diz que comprar, mesmo sem planejamento, é o lazer preferido de três em cada dez brasileiros. E mais: 47,7% admitem fazer compras para se sentirem bem.

Portanto, principalmente nesses momentos de crise, a educação financeira é fundamental para uma vida equilibrada e responsável. E se você não consegue vencer seus impulsos consumistas, procure um terapeuta. Ele pode ajudá-lo também nisso.

 

Rosa Silva

Terapeuta TFT e Palestrante

vidaplenatododia.com.br

 

O inverno chegou ontem e será mais frio na comparação com 2017

A Estação mais fria do ano, iniciou ontem no horário das 07h07m com uma temperatura de 9.2°C, mas as 13h já fazia 26.6°C. Uma das imagens do texto ilustra o belo amanhecer de ontem, exatamente quando ocorreu o Solstício de Inverno as 07h07m, no primeiro dia da nova estação quando se registra a noite mais longa do ano. Meteorologicamente iniciou-se ontem o Inverno Astronômico que vai até o dia 22 de Setembro quando ocorre o Equinócio da Primavera as 22h53min. Durante as Estações do Ano, temos o Solstício de Inverno e o Solstício de Verão que este ano inicia no dia 21 de dezembro no horário das 20h22m.

Amanhecer do dia que marcou o Solstício de Inverno (Foto: Nilson Wolff)

Sempre no início da Estação mais fria , ocorre a noite mais longa do ano( Solstício de Inverno) em junho, e a noite mais curta do ano quando inicia a Estação mais quente do ano( Solstício de Verão), no mês de dezembro. Ontem no dia mais curto do ano, a claridade do sol durou apenas 10 horas e 14 minutos em Campo Bom, e a partir de agora , a cada dia mesmo estando no inverno os dias vão ganhando maior presença de sol até chegarmos no dia 22 de setembro quando acontece o Equinócio da Primavera, quando o dia e a noite tem a mesma duração. Nesta situação ocorreu também o Equinócio do Outono no dia 20 de março as 13h14m.

Na prática já estamos no meio do Inverno Climático, pois a metade dos dias desta nova Estação já aconteceram e a outra metade dos dias vão aumentando gradativamente com o aumento da claridade até a chegada da Primavera. As Massas de Ar Polar que trazem o frio e as Massas de Ar Quente não respeitam o calendário das Estações, pois podem ocorrer em qualquer época, devido a dinâmica atmosférica, reinante num determinado momento. Assim os dias mais frios do ano podem ocorrer no Outono e não no Inverno, como os dias mais quentes podem ocorrer na Primavera e não no Verão.

Desde a implantação da Estação de Meteorologia em Campo Bom, no dia 01 de setembro de 1984, o recorde de calor ocorreu em plena Primavera no dia 16 de novembro de 1985 com 41.9°C, marca nunca superada em 34 anos de registros. Já o recorde de frio neste período ocorreu ainda no Outono no dia 08 de junho de 2012 com -1.8°C, seguido de -1.7°C em 06 de junho de 1988. Os -1.8°C também se repetiram em 14 de julho de 2000 e 25 de julho de 2009, daí sim em pleno inverno.

Considerando que não estamos tendo bloqueio atmosférico no Sul do Brasil pelo menos desde a segunda quinzena de maio, este ano o frio será bem mais forte do que em 2017. Existem várias comparações que demonstram esta tendência, tais como:

  • Durante todo o inverno de 2017 ocorreram apenas 08 geadas e este ano já tivemos 07 dias com geada;
  • Durante todo o inverno de 2017 tivemos apenas 04 dias em que a máxima ficou abaixo dos 15.0°C, e este ano já são 04 dias até o final do
    outono;
  • No inverno de 2017 tivemos apenas 29 dias com máxima abaixo dos 20.0°C e este ano até o final do outono já somamos 20 dias;
  • Durante todo o inverno de 2017, tivemos apenas 09 noites muito frias( quando está abaixo dos 10.0°C as 21h da noite) e este ano até o final do outono já tivemos 11 noites neste patamar;
  • Até o último dia de outono, dia 20, o mês de junho está com média mensal em 12.6°C, enquanto que no ano passado a média do mês ficou 15.3°C, quando a média mensal histórica é de 14.2°C.

Por tudo isso, pode-se afirmar que o frio será bem mais forte que no ano passado, mas com certeza teremos períodos amenos e até quentes nos próximos meses. Amanhã, após novo aquecimento com máxima podendo chegar a 27.0°C, o 8º Distrito de Meteorologia está prevendo períodos de chuva até a próxima segunda-feira, quando deverá ocorrer forte queda na temperatura com mínima abaixo dos 4.0°C.

Os destaques climáticos foram a forte geada ocorrida ao amanhecer do último dia 16 de junho, com a menor temperatura do ano até agora com 0.9°C. A geada foi forte também ao amanhecer do dia 17 de junho com 1.1°C. Outro destaque da semana, foi o da ocorrência de forte nevoeiro durante as madrugadas e amanhecer dos dias 18 e 19 de junho.

Perdas

Todos nós em algum momento da vida sofremos perdas sejam elas de amigos, parentes, perdas financeiras ou amorosas. O fato é que as perdas, de alguma forma, mais cedo ou mais tarde, nos obriga a olhar para o passado, para o futuro, avaliar o presente e mudar.

O que muitas vezes não nos damos conta é que não deveria ser preciso sofrer uma perda para entendermos a necessidade de mudança, afinal mudamos a todo momento. Isso é maravilhoso enquanto seres humanos e deveríamos estar sempre abertos às mudanças, porque elas são agentes de transformação, e se bem usadas, podem nos fazer dar saltos quânticos na vida.

A ciência já comprova que de tempos em tempos nossas células se renovam e nos tornamos uma pessoa novinha em folha.

Mas infelizmente esbarramos o tempo todo com gente carregando culpa por erros do passado. Erros que podemos afirmar, não foram cometidos por aquela pessoa que está ali, sentada e sofrendo. Mas, erros cometidos por alguém que ficou no passado e que já se transformou com novas células, novas experiências de vida, novas oportunidades de seguir em frente.

E quantos estão culpando outros por seus problemas ou erros? Aquela mesma história do “eu estou triste por causa de fulano” ou “eu sou assim porque o outro fez aquilo e aquilo”. E aí eu lanço a pergunta: “porque não ser feliz apesar do fulano?” ou “porque não ser diferente apesar do que o outro fez?”.

Felizmente (e às vezes infelizmente), o ser humano se acostuma à tudo. Com o bom e com o ruim. E aí mora o perigo; nos acostumamos com nosso modo de viver. Esse pode ser o nosso grande perigo ou vilão.

Acostumar-se ao que é bom é maravilhoso, mas há os que se acostumam ao ruim de tal forma que não querem sair disso. Parece loucura? Mas é o que acontece.

Por exemplo, quando estamos deprimidos, somos acalentado por todos, somos bajulados e à medida que o tempo passa e isso se repete, temos a perigosa tendência de em alguns momentos (se não em praticamente todos), manipularmos as pessoas para que façam aquilo que queremos ou por outro lado faz com que possamos nos esquivar daquilo que não queremos fazer. São os chamados ganhos secundários.

No primeiro momento o ganho secundário acontece inconscientemente, mas à medida que o tempo passa e ele começa a ser agradável, nos acomodamos a esse ganho.

O problema em perpetuar a doença por conta de ganhos secundários é ter perdas importantes que não aconteceriam se a doença tivesse sido eliminada de vez.

Portanto se você perceber alguém (ou se perceber) nessa roda do ganho secundário, não permita.

Mostre pra ela (ou para si mesmo) que está na hora de sair do casulo e viver. O redescobrir sentido para a seguir em frente é uma das maiores e mais poderosas descobertas do ser humano.

Rosa Silva – Terapeuta TFT

www.vidaplenatododia.com.br

Publicidade

2017 - Tudo Online em Campo Bom