Hoje é terça-feira, 22 de maio de 2018

Publicidade

O Especialista

Veranico de Maio emendou no verão este ano

Desde a última quinta-feira, tivemos o início de um novo período de calor que nesta época do ano é popularmente conhecido como ” Veranico de Maio “. Para que este fenômeno aconteça, necessariamente temos que ter pelo menos 05 dias consecutivos com temperaturas máximas na média de 29.0°C ou mais, superando os 30.0°C. Na quinta feira Campo Bom amanheceu com temperatura mínima de 18.2°C e ao meio-dia ocorria a máxima com 30.9°C. Na sexta -feira e no sábado novamente tivemos máxima superando os 30.0°C, e nesta média deverá perdurar pelo menos até a próxima quinta-feira dia 10. Teremos sensação de abafamento, pois as mínimas neste final de semana deverão ficar sempre acima dos 20.0°C, quando o normal para esta época é de 11.8°C, na média. Conforme dados do 8° Distrito de Meteorologia, poderá ocorrer pancadas de chuva isolada neste início de semana mas sem queda na temperatura.
Na tendência atual, o próximo final de semana será de tempo bom e com temperaturas bem amenas, característica do outono, variando entre mínimas de até 11.0°C e máximas de apenas 21.0°C. O último “Veranico de Maio ” ocorreu em 2015, com 03 dias  consecutivos com máximas acima de 30.0°C e os demais 02 dias na média de 29.0°C. Em 2008, o Veranico em Maio foi marcante, com 05 dias consecutivos com máximas entre 31.0°C e 33.1°C entre os dias 19 e 23. Porém os 02 últimos dias do mês foram gélidos, com mínima absoluta atingindo 1.2°C no dia 31 com ocorrência de geada forte na cidade.
No dia 01 de Maio de 2000 ocorreu a temperatura máxima absoluta recorde até hoje para este mês com 35.4°C. O mês de Maio mais frio em 35 anos, ocorreu em 1988 com a temperatura média mensal ficando em apenas 13.8°C, sendo que a normal histórica é de 16.2°C. Naquele ano ocorreram 04 geadas, sendo duas com intensidade forte com mínimas de 0.9°C no dia 26 e 1.2°C no dia 27. A máxima absoluta do mês ficou apenas em 25.1°C ocorrida no dia 19.
No ano anterior, em 1987, também fez muito frio em maio com mínima de 0.9°C no dia 26, 1.3°C no dia 10, 1.8°C no dia 11 e 1.9°C no dia 27. A temperatura máxima absoluta do mês também ficou abaixo dos 30.0°C, com 28.8°C no dia 01. Também no ano anterior, em 1986, o frio foi intenso em maio, com mínimas de 1.0°C no dia 14 e 2.0°C no dia 15 com geadas fortes e a máxima absoluta atingiu 31.7°C no dia 28. Em 50 anos de registros de ocorrência  de geadas no Município, por este colunista, as mais precoces até hoje , aconteceram nos dias 01, 02 e 03 de maio de 1985 com geada fraca e mínimas de 4.1°C, 3.1°C e 3.5°C respectivamente, este sim como fenômeno climático inédito e raro em nossa região geográfica.
Conforme destacado na edição anterior, confirmou-se o mês de abril mais quente dos últimos 35 anos de dados climatológicos de Campo Bom, pois a temperatura média mensal ficou em 22.7°C, contra 22.6°C registrado no ano de 2016, o mais quente até então. As diferenças climáticas entre estes dois anos foram amplamente relatados na referida edição. O destaque climático desta semana, foi o da ocorrência de até 126.0 mm com inundações na cidade de Santana do Livramento na Fronteira, como também em Rivera no Uruguai, cujo volume é o acumulado  entre a quarta-feira e manhã de ontem, conforme dados do Estação do INMET na cidade. Este Sistema de Baixa Pressão continuava bloqueado sobre a Campanha e Uruguai, pelo bloqueio do Ar Quente e Úmido que atuava sobre o norte do Estado.
               A imagem abaixo comprova que os 02 últimos dias de abril, que climaticamente terminaram com ” chave de ouro ” no litoral gaúcho. A primeira ilustra o Festival de Balonismo no dia 29 de abril em Torres, em um dia com muito sol e calor com a praia repleta de veranistas e o Parque do Balonismo  com milhares de pessoas desfrutando do espetáculo dos balões no Feriadão do Trabalho.

O Abril mais quente em 35 anos

 Conforme o Instituto Climatempo, uma massa de ar seco e quente que vem ganhando força na última semana de abril entre o Paraguai  e o Brasil dificultando desta forma a passagem de frentes frias pelo país neste final de semana prolongado pelo feriado de primeiro de Maio. Quem esperava ou sonhava com o frio de outono no feriadão terá uma decepção, ao contrário do ocorrido coincidentemente nos dois últimos anos. Tanto em 2016 como em 2017, os últimos dias de abril se caracterizaram com a ocorrência de temperaturas muito baixas principalmente no Sul e Sudeste do Brasil.
Mesmo com o frio ocorrido no final de abril de 2016, já tinha sido o mais quente em 34 anos  na média  em Campo Bom com 22.6°C, e este ano está marca deverá ser superada, pois estamos com a mesma marca até ontem, e previsão é de que até o final do mês, o calor deverá continuar com tendência de aumento nas máximas. Até este domingo, 29 já são 16 dias com temperaturas acima de 30.0°C neste mês, contra treze ( 13 ) dias em 2016, e teremos ainda a segunda-feira, dia em que a chuva deve chegar.
Assim teremos o mês de abril mais quente em 35 anos de registros climatológicos de Campo Bom.        Comparando-se o Abril de 2016 com o deste ano, que deverá bater o recorde de calor nas temperaturas médias cabem ressaltar algumas diferenças bem significativas. Em 2016, nos 13 dias de calor intenso acima dos 30.0°C, em 09 dias as máximas se situaram entre os 34.0°C e 37.2°C, e este ano nos prováveis 17 dias  nesta faixa de temperaturas máximas, apenas em 02 dias ficaram entre os 34.0°C e 35.0°C como máximas absolutas.
Também em 2016, tivemos 18 dias com mínimas acima dos 20.0°C e este ano em abril, poderemos chegar no máximo em 08 dias nesta marca. Não fosse o intenso frio ocorrido nos últimos 05 dias de abril de 2016, que apresentaram máximas abaixo dos 20.0°C e mínimas em 03 dias com apenas um dígito, chegando até 5.3°C de mínima absoluta, a média daquele ano iria superar a média recorde deste ano, que deverá terminar próximo dos 23.0°C ou um pouco acima, contra os 22.6°C naquele ano.                Este ano, o mês vai terminar com nenhuma máxima inferior à 20.0°C e nenhuma com apenas um dígito, o que é normal para esta época do ano, o que estará contribuindo em muito para bater o recorde de calor em 35 anos para um mês de abril. Vale lembrar que a mínima absoluta até agora foi de apenas 13.3°C no dia 17, acima da mínima ocorrida no dia 13 de março com 12.5°C, a mais baixa do ano até agora.
A instabilidade retorna à nossa região apenas no Feriado do Dia do Trabalho, nas projeções de hoje, conforme dados do 8º DISME, deixando este último final de semana de abril com temperaturas de pleno verão. As imagens do texto ilustram a quente noite da última quarta-feira e na outra a manhã encoberta de ontem com nuvens baixas de nevoeiro que até próximo das 13h ainda não haviam se dissipado, o que foi a destaque climático desta semana na cidade.

Noites quentes foram a marca dos últimos dias (Fotos: Nilson Wolff)

Bulling – Como reconhecê-lo, evitá-lo e combatê-lo

Trauma é a vivência de experiências que trazem padrões negativos no cérebro e fazem a pessoa sentir emoções como medo, raiva, vergonha, entre outras. Quando as situações vividas no momento atual são relacionadas ao evento que originalmente causou o trauma, ela traz também todas as emoções daquele momento em que ele aconteceu. Outros efeitos negativos são as crenças limitantes que afetam a vida amorosa, familiar e até a profissional do indivíduo.

A visão de mundo deformada estimula a pessoa a adotar, consciente ou não, comportamentos de defesa como o de evitar aproximar-se emocionalmente dos outros, evitando assim possíveis mágoas.

Uma das formas mais antigas de se atingir uma pessoa é o bulling. Em particular, na infância o cérebro está em desenvolvimento e pode ser facilmente impressionado. Apelidos pejorativos, brincadeiras que humilham a criança publicamente ou não, perseguição de colegas mais fortes na escola seguida de surras, são práticas relativamente comuns e os pais precisam estar atentos.

Pais e amigos de escola embora queiram o melhor, são os que mais podem gerar tramas com o uso de estereótipos, causando sofrimento à criança e efeitos negativos que duram uma vida inteira. Afinal se você sabe que chamar seu filho de determinado apelido faz com que ele se sinta humilhado, onde está a graça em continuar a fazê-lo?

É impossível estabelecer regras definitivas sobre traumas porque pessoas diferentes são afetadas de maneira e em intensidades diferentes por eventos da mesma natureza. Ou seja, algo que traumatiza uma pessoa pode ter efeito mínimo ou nulo sobre outra.

Apesar dessas diferenças, o bulling marca e dá origem a distúrbios comportamentais que, se não tratados, continuam por toda a vida.

É preciso ter equilíbrio para não deixar que sentimentos como raiva ou frustração se sobreponham a medidas educativas que colaboram para a formação do caráter da criança.

Os pais devem sempre considerar recorrer à ajuda de um profissional da terapia para ajudar não apenas a eles mesmos como a seus filhos, a lidarem com traumas. A TFT tem se mostrado uma terapia extremamente rápida e eficaz no combate a medos, fobias e outras patologias originárias de traumas.

Quanto mais perto da experiência negativa causadora do trauma se der a intervenção dos pais, melhores serão as chances de cura e de superação. Justamente por isso, é bom que os pais se mantenham atentos a sinais de mudanças súbitas de comportamento, acompanhadas ou não de eventos que os pais julguem traumáticos

Um lar onde há bastante carinho e entendimento mútuo, onde os problemas são enfrentados de maneira equilibrada e objetiva, é a principal proteção contra o bulling. Amigos que não rotulem a criança e que acima de tudo a protejam, serão também a base para a formação de um adulto seguro.

Publicidade

2017 - Tudo Online em Campo Bom