Hoje é domingo, 23 de setembro de 2018

Publicidade

O Especialista

Depois de um inverno rigoroso vem aí a Primavera

Após a grande enchente ocorrida no início do mês, tendo como auge o dia 06 de setembro,
tivemos um longo período de dias secos e sem chuva, o que contribuiu para a volta da normalidade
climática no Vale dos Sinos. A última precipitação ocorreu no dia 04 de setembro, e apenas hoje, dez
dias após é que teremos a volta instabilidade. Deverá chover também amanhã, mas teremos uma pausa
no domingo, pois a chuva deverá ocorrer apenas no final da tarde ou a noite, prolongando-se  até a
terça-feira dia 18.
Conforme o previsto, confirmou-se a tendência do predomínio do tempo bom no Feriadão de 07 de setembro. Campo Bom e região, tiveram um belo dia ensolarado, que contribuiu climaticamente
para a realização dos  Desfiles Cívicos em homenagem à Pátria, sendo que a mínima neste dia foi de
9.0°C e á máxima chegou aos 28.0°C, a mais alta até agora neste mês. A partir do domingo dia 09, a parte leste do estado  e o Vale dos Sinos, mesmo com a continuidade do tempo bom, tivemos presente a nebulosidade e rajadas de vento vindos da direção Leste, lembrando o período de Finados, que tem esta característica.
Esta forte nebulosidade persistiu até o entardecer e início da noite do dia 11 de setembro,
terça-feira, que com a brecha dos raios solares permitiu esta bela imagem no final da tarde, refletindo os
raios de sol em prédio contrastando com a nuvens escuras , mas sem chuva, como ilustra uma das imagens do texto. No momento da foto, as 18 hs fazia 17.2°C após máxima de apenas 22.8°C e com rajadas de vento leste de até 32km/h, aumentando a sensação de frio.
O tempo limpou completamente  antes da meia noite e fez cair a temperatura  com a perda da radiação e propiciou um belo amanhecer com céu limpo e mínima de 9.7°C no dia 12, quarta-feira , como ilustra
a outra imagem do texto. A máxima à tarde chegou aos 27.0°C. Até agora já são 04 dias neste mês  com mínimas de apenas um dígito, contra nenhum  no ano passado em setembro. Não tivemos ainda este mês, nenhum dia com máxima igual ou superior aos 30.0°C, contra 12 dias no ano passado, lembrando que a mais alta foi de 38.1°C no dia 10.
Além da enchente já ocorrida este mês , outro destaque climático, tem sido o frio e as geadas ocorridas  aqui no Estado entre os dias 05 e 07 de Setembro inclusive com temperaturas negativas. Como sempre em Santa Catarina o frio e os dias com  geadas  são maiores. No dia 12, ocorreu a oitava geada de Setembro e a de número 95 em 2018. A mínima neste dia foi de 1.4°C em São Joaquim/F Keiser (identificação da estação).
Estamos entrando na última semana do Inverno Astronômico, que vai até o dia 21, e na tendência
atual, as duas últimas madrugadas da estação poderão registrar mínimas de um dígito na cidade. A Primavera inicia no dia 22 as 22h53min e deve trazer com ela a volta das temperaturas acima de 30°C.

A magia do tocar

A pele, o maior órgão do ser humano, tem sido cultuada entre os que desejam manter a juventude. Os cuidados com a pele hoje chegam a ser exagerados em certos segmentos da sociedade. O que passa despercebido, entretanto, é a importância que a pele tem para algo muito simples e terapeuticamente tão eficaz: o toque.

No mundo virtual, tocar está cada vez mais distante, mas cada vez mais necessário. O toque é nosso primeiro meio de comunicação, e sua importância é vital para a manutenção do equilíbrio da vida.

Em algumas culturas, a ausência do toque representa prova de força e autonomia. Porém, essa falta do contato físico não agrega saúde física ou emocional, nem deixa o indivíduo mais forte. Muitas vezes, pelo contrário, deixa mais vulnerável a situações de depressão e desejo de acabar com a própria existência.

Experiências feitas com bebês prematuros mostram que os que foram tocados ganharam mais peso que os simplesmente submetidos ao tratamento medicamentoso. Animais que recebem mais carícias de suas mães desenvolvem um sistema imunológico mais forte do que os rejeitados ou pouco acariciados. Uma experiência realizada com mulheres no estado de Virgínia, nos Estados Unidos, demonstrou que aquelas que, num momento de estresse, davam as mãos para seus parceiros, apresentavam menos reações neurológicas negativas que aquelas que passavam pela experiência sozinhas. O toque parece dirimir a reação de medo.

Parceiros que se acariciam regularmente permanecem mais tempo juntos nos momentos em que os ânimos esquentam ou em que o relacionamento parece não valer a pena.

O toque é um sistema de sinalização muito eficiente, e isso já foi provado cientificamente. É fácil perceber o que o toque significa. Mesmo um bebê percebe a emoção que está por trás do toque.
O Instituto de Pesquisas do Toque atestou que, ao contrário do que se fala, crianças autistas adoram ser massageadas por seus pais ou terapeutas. Até mesmo entre desportistas, o toque aumenta o desempenho nas competições.

O Psicólogo francês Nicolas Gueguen abordou em seu artigo, na revista Journal of Social Psychology, que estudantes que recebem toques, como aperto de mãos ou tapinhas nas costas de seus professores, são mais propensos a participarem ativamente das aulas.

Tocar seu parceiro e filhos trará maior aproximação e promoverá a união na família. Embora pareça que tocar está fora de moda, saiba que se tocássemos mais nossos filhos, amigos, parentes, pais e irmãos, teríamos muito menos doenças não apenas físicas como também emocionais.

Nesse mês de prevenção a uma das maiores ameaças para nossos jovens, vamos tocar, distribuir carícias, afeto, compaixão e amor para os que estão à nossa volta.
Vamos fazer de Setembro o mês do toque, o mês do abraço, o mês da saúde física e mental.

Rosa Silva
Terapeuta em TFT e Palestrante
rosasilva@vidaplenatododia.com

Enchentes, frio e geadas em Setembro

O acumulado de precipitação entre a noite da quinta-feira, dia 30 de agosto e a manhã da terça-feira, dia 04 de setembro registrado pela Estação de Meteorologia do Município, chegou a 153.2 mm, ocasionando uma grande enchente em Campo Bom e no Vale dos Sinos e arredores. O auge da cheia aconteceu na manhã de ontem, com o Rio dos Sinos atingindo os 7,34m junto à régua sob a ponte na Barrinha. O que chamou a atenção de vários moradores, principalmente dos Bairros Porto Blos, Mônaco e da Barrinha foi o do rápido avanço das águas, em questão de horas, principalmente a partir da madrugada do dia 05. As 10h da manhã, em medição feita por este colunista, a régua registrava os 07m e as 17h já tinha subido para 07,16m e continuava subindo.

Devemos levar em conta, dois fatores fundamentais que contribuíram para esta grande cheia. Primeiro, o alto volume de precipitação já citado, em segundo, que na mesma proporção choveu nas cabeceiras do Rio dos Sinos. Na terça-feira, dia 04, a cidade de Rolante amanheceu com suas ruas e avenidas cobertas de águas barrentas. Durante a madrugada, os Rios Areia e Rolante subiram rapidamente e invadiram a cidade, tanto na área central e em mais 04 bairros da cidade. Uma das imagens do texto, ilustra a enchente na cidade e foi registrada por este colunista.

Rolante foi muito afetada pela enchente (Foto: Nilson Wolff)

E toda esta água teve como direção escoar no Rio dos Sinos e que leva pelo menos dois dias para chegar por aqui e causar cheia. Em seguida com o avanço das águas a situação da cheia foi se alastrando por Novo Hamburgo e São Leopoldo até desaguar no Lago Guaíba em Porto Alegre. Esta enchente superou a de outubro de 2016, que chegou à 7,06m, e de duas enchentes ocorridas em 2015, a primeira em setembro, quando o nível do rio chegou a 7,1m e a segunda no mês de outubro com 7,18m.
Historicamente as maiores enchentes em Campo Bom, acontecem quando o nível do rio registrado junto à régua na Ponte da Barrinha chegam e superam os 7,3m . A maior enchente desde o ano de 1965, ocorreu em Agosto de 2013, com o rio chegando a 7,65m, seguida de Maio de 2008 com 7,4m e de Julho de 2011 que também chegou aos 7,34m deste evento climático.

A enchente de 1965, sempre é lembrada como a maior enchente entre todas na cidade, que ocorreu também em setembro, mas infelizmente não possui dados da sua metragem. A outra imagem do texto, ilustra como estava a situação na manhã de ontem no Bairro Barrinha, onde só carros de grande porte e máquinas podiam passar pelo local.

Ruas da Barrinha foram invadidas pelas águas (Foto: Nilson Wolff)

Outro destaque climático nestes primeiros dias de setembro, tem sido o frio que não ocorreu no ano passado nesta época, e que continua presente e deve persistir até o final do inverno astronômico, dia 21 de Setembro. Campo Bom, registrou ao amanhecer da última quarta-feira dia 05, mínima de 8,4°C e ontem 8,6°C, lembrando que no ano passado a menor temperatura mínima de Setembro foi de apenas 12.1°C. Na quarta-feira, dia 05, ocorreram geadas no Estado em São Francisco de Paula na localidade de Várzea do Cedro com mínima negativa com -0.4°C, como também em Bom Jesus com mínima de 0.7°C em Estação particular e mínima de 3.4°C na Estação do Inmet. Já em Santa Catarina, como sempre, o frio foi mais intenso com geada forte em Urupema com mínima de -3.8°C, seguido com São Joaquim com mínima de -2.3°C. Já ontem a mínima no Estado ocorreu em Pinheiro Machado com 1.1°C e em São Francisco de Paula na localidade de Tainhas com mínima de 1.3°C com geada. Já em SC e com forte geada a mínima ocorreu em Urupema com mínima de -3.0°C registrado na Estação da EPAGRI.
Conforme citado na coluna anterior, confirma-se a tendência de tempo bom neste Feriadão da Independência, apenas com aumento de nebulosidade no domingo mas sem previsão de chuva.
Na tendência atual, a longo prazo a instabilidade só deve retornar à região a partir da próxima semana, na quinta-feira dia 13.

Publicidade

2017 - Tudo Online em Campo Bom